Diário de bordo

Lost Dutchman State Park: achamos o holandês perdido?

Saindo de Goldfield Ghost Town, seguimos em direção ao Lost Dutchman State Park, um parque nacional incrível. Um lugar que possui um camping ground para que possamos “acampar” e pernoitar dentro da van. Essa foi a nossa primeira experiencia real dormindo na Jubi, já que antes passamos duas noites no estacionamento da concessionaria.

O Lost Dutchman State Park tem uma história, no mínimo, curiosa. Conta-se por aqui que um holandês chamado Jacob Waltz veio para essas terras atrás de uma mina de ouro por volta de 1891, mas se perdeu, acabou morrendo e nunca foi encontrado (daí o nome!). Acredita-se que a alma ele ainda perambula por aqui e muitos interessados ainda tentam vir atrás desse “ouro perdido”. Reza a lenda que alguns já até morreram tentando encontra o que nem o holandês conseguiu.

O parque tem uma grande variedade de trilhas para caminhadas a pé ou de bicicleta. As montanhas são enormes, o deserto é árido e os cactus ficam todos à vista. O solo para camping é ótimo e espaçado e algumas comodidades estão disponíveis, como pequenas casas para pernoitar ou espaço para montagem de barracas. Essa é grande primeira parada no Apache Trail.

Apache Trail, ou Trilha Apache, no Arizona, era uma trilha de diligência que atravessava as Montanhas da Superstição. Foi nomeado Trilha Apache em homenagem aos índios Apache que originalmente usavam essa trilha para percorrer essas montanhas. Essa rota fica entre Apache Junction e Theodore Roosevelt Lake e é super tradicional para quem gosta desse tipo de aventura.

Mas voltando ao que interessa, esse parque, além do estacionamento para a van passar a noite aqui, ainda possui eletricidade, agua e internet (não muito boa, mas que ainda assim funciona). Ficamos muito animados com tudo isso porque é aqui que também tem um dump station. Então, tivemos que fazer o trabalho, literalmente, sujo de limpar o esgoto da van. Nossa primeira vez fazendo isso foi inesquecível! O cheiro também (risos).

Além disso, foi a primeira vez que cozinhamos também. E a vista não decepcionou. A cozinha da van é minúscula e bem apertada. Utilizamos os espaços conforme conseguimos e nem sempre a tarefa de fazer um almoço ou um jantar é muito fácil. Mas dessa vez comemos frango grelhado, purê e salada de tomate, meio que no improviso só pra matar a fome.

Tentamos também fazer uma trilha para subir nas montanhas, mas por conta no coronavirus estava fechada. Aqui, fizeram um esquema de rodízio. Cada dia uma atividade é permitida para um hiking por essa trilha. Um dia é permitido o passeio de bicicleta e no outro andando. Infelizmente escolhemos o dia errado e só as bicicletas podiam passar pela area restrita. Além disso, o parque estava vazio. Coisa rara nessa época do ano, provocada pela pandemia também.

O Arizona, como um todo, é MUITO quente no verão. Muito mesmo. Mas o parque é especialmente mais. Devido ao fato de ser um grande deserto a seu aberto, as temperaturas são altas, bem acima dos 40 graus e extremamente seco. E não existe muita sombra nas trilhas de caminhada. A boca e o nariz ressecam a todo momento e é preciso sempre se hidratar. Uma dica que damos é, talvez, escolher uma época mais fresca para visitar o lugar.

Deixe um comentário

Veja também